23_4_2018_Jorge Carvalho urbanismo

23_4_2018_jorge carvalho urbanismo 1

A Previdência Portuguesa promoveu, na quinta-feira, 19 de abril, uma reflexão dedicada ao investimento imobiliário, com vista a definir a estratégia da Associação Mutualista para o futuro. O orador convidado foi Jorge Carvalho, prestigiado urbanista e professor de Urbanismo na Universidade de Aveiro.

O urbanista apresentou as principais noções inerentes ao negócio imobiliário e antecipou que a tendência no setor será o aumento do número de imóveis para arrendamento no mercado.

Jorge Carvalho reconheceu que o “solo é uma espécie de valor de refúgio” e que, neste momento, já se assiste a “uma pequena retoma”.

Porém, notou o especialista, o mercado imobiliário tenderá a ser “mais equilibrado” e “centrado nos locais com expetativa de valorização”, não prevendo o fulgor dos anos 80 e 90. “O bom investimento em imobiliário é sempre aquele que hoje não estando muito valorizado, no futuro se venha a valorizar”, advertiu Jorge Carvalho.

“Acho que o imobiliário é o investimento mais seguro, quando é feito com conhecimento do mercado. Isto é, quando se verifica o potencial do local e a escassez de oferta”, comentou António Martins de Oliveira, presidente do Conselho de Administração d´ APP, acrescentando que, no caso das associações mutualistas, o arrendamento é ainda mais pertinente, na medida em que esta receita não está sujeita a tributação em sede de IRC.

A rentabilização imobiliária, observou, por sua vez, Ricardo Veloso, vogal com o pelouro de Marketing e Comunicação, visa garantir a sustentabilidade da Instituição e possibilitar o alargamento das respostas sociais, nomeadamente à terceira idade.

“A localização é fundamental. Para aumento da rentabilidade deve investir-se sempre em bons sítios”, rematou Jorge Carvalho, aconselhando que “em termos de gestão, faz sentido  APP concentrar-se em 2 ou 3 áreas geográficas”.

Jorge Carvalho é doutorado em Ciências Aplicadas ao Ambiente pela Universidade de Aveiro, com a defesa da tese “Ordenar a cidade”.

Totalmente centrada no urbanismo e Ordenamento do Território, a carreira profissional de Jorge Carvalho tem incidido, de forma diversificada, no ordenamento do território articulando exercício profissional, docência e investigação.

O docente universitário tem colaborado com diversos municípios na elaboração de planos, projetos urbanos, regulamentação executória e administração urbanística (nomeadamente Coimbra).

Jorge Carvalho é autor de numerosas publicações, sendo de salientar: “Évora, Administração Urbanística” (1990); “Ordenar a Cidade” (2003); “Formas Urbanas” (2003); “Perequação, Taxas e Cedências” (2003, em coautoria); “Dos Planos à Execução” (2012) ; “Ocupação Dispersa, Custos e Benefícios” (2013, em coautoria), “Classificação do solo no novo quadro legal” (2016, em coautoria).

A Previdência Portuguesa promove o bem-estar dos seus associados, disponibilizando diversos produtos na área da mutualidade, financiamento através de empréstimos, cuidados à primeira infância – através do Jardim de Infância – e especialidades clínicas – através da Clínica Previdência Saúde –, assim como benefícios vários na área da economia doméstica, saúde, desporto, lazer e cultura.

“É no dar que se recebe” é o lema d´A Previdência Portuguesa, fundada em 1929.